O que é Zumbido no Ouvido: Causas, Como Tratar, Há Cura?

O que é zumbido no ouvido?

Também conhecido como acufeno ou tinnitus, o zumbido caracteriza-se como um inconveniente ruído que incomoda e que não vem de nenhuma fonte de som externa e pode ser sentido pelo ouvido.

Na maior parte das ocasiões, não é sinal indicativo de graves doenças, porém pode ser sintoma de algumas condições que requer cuidados médicos.

De acordo com a American Tinnitus Association (“Associação Americana de Zumbido no Ouvido”, traduzido livremente), cerca de 20% das pessoas demonstram algum quadro clínico do fenômeno ao longo de suas vidas.

Numa população com mais de 60 anos, esse número aumenta para cerca de 25%. Na maioria dos casos, o zumbido no ouvido não corresponde a nenhum tipo de doença grave.

Porém, é possível que seja um sintoma de condições que sugerem cuidados especiais e acompanhamento médico.

Como funciona o ouvido normalmente?

A anatomia do ouvido humano é composta por 3 partes distintas, chamadas de ouvido externo, ouvido médio e ouvido interno.

O ouvido externo possui em sua constituição o pavilhão auricular, que é a estrutura popularmente conhecida como orelha. Ali, todos os sons e barulhos emitidos no ambiente são capturados e enviados diretamente para o ouvido médio.

Já o ouvido médio, é constituído por 3 ossos pequeninos (ossículos), que são chamados de bigorna, estribo e martelo.

Esses 3 ossículos são responsáveis pela identificação e existência de determinado som e o encaminham diretamente para o cérebro, através de estímulos que aumentam o barulho.

E finalmente, os sons alcançam o ouvido interno, que possui uma cavidade em formato de caracol conhecida como cóclea, cujas células fazem vibrações de acordo com a vibração sonora e, por fim, entregam a informação ao cérebro.

Esse percurso feito pelo som, do ouvido externo ao cérebro, é denominado de via auditiva. Ao longo do caminho, as vibrações sonoras recebem vários estímulos que as auxiliam a alcançar seu destino.

O zumbido no ouvido ocorre quando, por algum motivo qualquer, alguns componentes da via auditiva emitem esses estímulos mesmo quando nenhum som passa por eles.

Tipos de zumbidos

Tinnitus subjetiva

Esse tipo de zumbido no ouvido é o mais comum . Trata-se de um ruído que somente o paciente consegue ouvir.

Pode ser originado de alguns problemas de estrutura no ouvido externo, interno ou médio, falta de equilíbrio nos nervos auditivos ou até mesmo no canal que faz com que os sons captados alcancem o cérebro.

Tinnitus objetiva

Esse tipo de zumbido é muito raro. A tinnitus objetiva refere-se a um som que pode ser escutado pelo paciente e também pelo próprio médico durante o exame.

Geralmente ocorre por conta de contrações musculares, disfunções nos vasos sanguíneos ou problemas nos ossículos do ouvido médio.

Sons

Mesmo que não existam oficialmente sons de zumbido no ouvido catalogados e relacionados a algumas doenças específicas, existe uma variedade de zumbidos muito diferentes entre si que geralmente são informados pelos pacientes.

De forma geral, um único paciente pode desenvolver mais de um tipo de zumbido no ouvido. As reclamações de pessoas que sofrem desse mal são de que os ruídos que ouvem são parecidos com os barulhos emitidos pelas panelas de pressão, zumbido de inseto, apitos, sirenes, água corrente e até mesmo motores de carros.

Os zumbidos geralmente são constantes, mas não são propriamente emitidos num ritmo constante (como por exemplo é a batida de um coração).

Causas

O zumbido no ouvido é um sintoma, não é uma doença. Isso quer dizer que o ruído em si é uma espécie de alarme que o corpo emite para informar que algo não está funcionando corretamente.

A lista de prováveis doenças, transtornos e desequilíbrios que podem gerar zumbido no ouvido é muito grande e diversificada.

Muita Exposição ao barulho

A poluição sonora é uma prejuízo para a vida das pessoas que vivem e convivem em grandes centros urbanos, e pode ocasionar consequências seríssimas para a saúde dos ouvidos.

A constante exposição ao costume de ouvir música muito alta com fones de ouvido ou até mesmo ao barulho do trânsito, por exemplo, podem prejudicar certas estruturas do ouvido e criar o fenômeno do zumbido.

Cera acumulada

A cera que o ouvido produz tem um papel importantíssimo para a proteção do órgão. Contudo, quando reunida em excesso, pode obstruir as vias de audição, além de afetar o tímpano, promovendo dor, tonturas, perda progressiva de audição, coceiras, e o famoso zumbido.

Inflamação ou infecção no ouvido

As Inflamações causadas no ouvido médio geralmente causam rigidez nos ossículos que o formam, atrapalhando a eficácia dessas estruturas de distinguir quando realmente há algum som conduzindo por elas ou não.

Já as infecções – como as otites, por exemplo – tem o costume de reduzir a eficácia de o ouvido de fazer a identificação com clareza dos sons externos, originando e amplificando o zumbido.

Lesões no ouvido

Grande exposição ao calor, estruturas internas que possam estar danificadas pela utilização de produtos químicos ou até mesmo alguns objetos colocados dentro do ouvido podem causar o zumbido.

Além disso, há a probabilidade de as células dos cabelos, que ficam dentro do ouvido, estarem danificadas. O tipo de dano/lesão mais usual é a separação ou perfuração do tímpano.

Normalmente, o zumbido originado por esse tipo de situação vem junto a sintomas característicos, como intensa dor repentina, sangramentos e diminuição da audição.

Medicamentos

Certas substâncias como antibióticos, aspirina, quinina (usada no tratamento de patologias cardíacas e da malária ), antidepressivos, diuréticos  e drogas usadas nos procedimentos contra o câncer podem ser situações viáveis para a aparição de zumbidos no ouvido.

Problemas Odontológicos e Disfunção da Mandíbula

Por mais difícil que possa se imaginar, aquelas disfunções odontológicas que estão diretamente ligadas a articulação da mandíbula – podem ocasionar sensações de desconforto no ouvido.

Não apenas o zumbido, mas alguns problemas nos dentes geralmente podem causar alguns estalos e barulhos na parte de trás do ouvido ao abrir a boca, além de algumas pontadas no ouvido médio e externo.

Dores musculares

Dores tensionais nos músculos, principalmente aquelas dores que afetam a região do pescoço, podem ser as culpadas pelo zumbido no ouvido.

Isso se deve ao fato de o corpo liberar certas substâncias com a finalidade de diminuir a tensão localizada, e, durante o processo, acaba dando estímulo para as vias auditivas.

Problemas cardíacos

Doença cardiovascular atinge diretamente a circulação do sangue, prejudicando a condução do sangue para os vasos sanguíneos do ouvido.

Uma dos efeitos colaterais desse processo é que as estruturas auriculares ficam impedidas de agrupar nutrientes o suficiente para exercerem suas funções de forma correta, produzindo o zumbido como forma de alarme e/ou alerta.

A arteriosclerose, a hipertensão e a malformação arteriovenosa (que também são doenças que possuem relação com o sistema cardiovascular) também podem ser fatores causadores do zumbido no ouvido.

Depressão

A depressão é uma enfermidade que atua diretamente com várias funções químicas do corpo humano.

Uma delas se refere aos índices de neurotransmissores originados dos nervos da audição, atrapalhando toda a funcionalidade do ouvido e, assim, criando o zumbido.

Estresse

Mesmo que o estresse isoladamente não seja um agente responsável pelos zumbidos no ouvido, ele é um grande amplificador desse tipo de fenômeno.

Nesse caso,  geralmente o zumbido também vem seguido de tonturas.

Diabetes não controlada

Elevados níveis de insulina acima do normal podem afetar os estímulos responsáveis pela condução das informações do ouvido para o cérebro.

Assim, pacientes com diabetes precisam ter atenção duplicada se adquirirem zumbidos no ouvido.

Consumo excessivo de cafeína

Uma substância muito estimulante é a cafeína. Ao ser ingerida em grande quantidade, altera o funcionamento de muitos órgãos do nosso corpo.

E um desses órgãos é o ouvido, que demonstra atividades celulares extremamente aceleradas depois do consumo exagerado de café, causando assim o zumbido.

Envelhecimento

A redução da audição é uma das mudanças mais características da vinda da terceira idade.

O fenômeno chega promovendo muitos efeitos colaterais, como a tontura e o zumbido no ouvido.

Como o diagnóstico para zumbido no ouvido é feito?

Somente um médico (profissional da medicina) é capaz de diagnosticar com exatidão a origem do zumbido no ouvido de uma pessoa. O especialista mais indicado para esse problema é o otorrinolaringologista.

O médico solicitará diversos exames para achar a resposta correta. Os exames mais conhecidos são:

  • Exames de diagnóstico através de imagem, dependendo das dúvidas ou suspeitas do médico. Além disso, a análise do tipo de som que o paciente está escutando poderá auxiliar o médico a achar o motivo do ruído.
  • Audiometria: medição de quão eficiente o ouvido está sendo na receptação, reconhecimento e processamento dos sons;
  • Testes de movimento, que fazem com que o paciente mova várias partes do corpo em diferentes intensidades e analisa se o zumbido no ouvido cresce ou diminui com a locomoção;
  • Zumbidos que assemelham-se a uma campainha aguda, por exemplo, podem sugerir que a origem do problema esteja na exposição contínua a barulhos elevados. Aqueles que são parecidos com uma campainha grave podem ser indícios de Doença de Ménière ou até mesmo uma labirintite.

Por isso, é de extrema importância a pessoa ser sincera no momento da consulta com o médico otorrinolaringologista. Todas informações são cruciais e fundamentais para chegar com exatidão no diagnóstico final.

Zumbido no ouvido tem cura? Qual é o tratamento?

Chegamos numa das partes mais importantes do artigo. Há um método que pode solucionar esse problema em 30 dias através de técnicas que são ensinadas detalhadamente de forma simples num produto digital. Para conhecer esse produto, clique aqui para acessar o site oficial dessa metodologia.

Conseguimos 2 depoimentos de pessoas que melhoraram incrivelmente utilizando essa metodologia e recebendo todo o suporte feito pela equipe que a criou.

Assista agora:

Segundo a medicina, o procedimento para a diminuição ou erradicação do zumbido de ouvido está diretamente ligado à origem desse sintoma. Nos casos de perda de audição, provavelmente o médico pode sugerir a utilização de aparelhos auditivos.

Algumas condições necessitam de medicação própria e específica, enquanto outras dependerão apenas do controle de uma doença pré-existente (como é o caso da diabetes e de algumas doenças cardiovasculares, por exemplo).

Durante a investigação das causas do zumbido de ouvido, o médico otorrino pode atuar em conjunto com o paciente para mapear quais são os sinais que aumentam a sensação, como, por exemplo, a ingestão da cafeína ou a utilização de fones de ouvido.

Mesmo que a maioria dos casos seja solucionada assim que a origem do problema é encontrada, há a probabilidade de a raiz do problema nunca ser encontrada.

Para esse caso em específico, a ciência afirma que o zumbido não tem cura. Para essa situação, o médico pode também sugerir medidas paliativas para atenuar o incômodo.

Esse tratamento atenuante pode ter a prescrição de medicamentos, como ansiolíticos, anticonvulsivantes e vasodilatadores.

Terapia para tinnitus

Nos anos de 1990, criou-se a Terapia de Habituação ao Tinnitus (do inglês “Tinnitus Retraining Therapy”, ou TRT).

Esse procedimento basicamente mostra ao paciente como lidar com o zumbido no ouvido, até que a percepção do ruído seja reduzida continuamente até que não possa ser mais ouvido.

Esse procedimento desenvolve-se em duas etapas distintas:

Na primeira etapa, existe a orientação do paciente e mapeamento do tipo de zumbido, para que a terapia seja determinada de acordo com as conveniências dele e demonstre resultados aceitáveis.

Baseado nessa etapa do procedimento, pode-se partir para a segunda fase, onde um aparelho específico será ajustado para enviar um chiado equivalente com o zumbido ouvido pelo paciente.

Esse chiado próprio é emitido durante as sessões de terapia e, atualmente, pode ser colocado diretamente num aparelho de surdez, soando continuamente no ouvido do paciente.

De forma progressiva, escutar o chiado faz com que o paciente com tinnitus tenha cada vez menos atenção no zumbido, até que deixe de ouvi-lo completamente.

O tratamento possui taxas de sucesso acima de 80%. A parte ruim, é o longo período: a terapia dura 18 meses pelo menos, podendo chegar até os dois anos.

Equipamentos para supressão de ruído ou barulho

A recomendação médica pode incluir alguns acessórios para reduzir a exposição do paciente ao ruído e ao barulho.Veja alguns exemplos:

  • Gerador de ruído branco: barulho ou chiado branco é como nomeamos barulhos que possivelmente são utilizados para disfarçar e atenuar a percepção de ruídos externos que são inconvenientes. Esse aparelho produz sons como os da chuva caindo e como os das ondas do mar alcançando a praia, por exemplo, podendo ser uma enorme aliada no tratamento contra o zumbido de ouvido;
  • Aparelhos auditivos: para aqueles que estão demonstrando perda da audição, além do zumbido no ouvido, essa pode ser uma maravilhosa opção para resolver ambos os problemas.

Terapias Opcionais (Alternativas)

Algumas terapias opcionais servem como tratamento adicional para a eliminação ou diminuição do zumbido no ouvido. Veja algumas técnicas que podem ser usadas:

  • Acupuntura;
  • Cápsulas de ginkgo biloba;
  • Complementos de vitamina B;
  • Hipnose;
  • Suplementos de zinco.

Devemos enfatizar que esse tipo de terapia alternativa não possui eficácia comprovada. Então não deve substituir o tratamento médico recomendado.

Como prevenir

Além de ser importante, também é possível realizar certas alterações na rotina que produzam uma melhor qualidade de vida para a pessoa que lida com zumbidos no ouvido.

Evite locais muito barulhentos

Dentro de suas possibilidades, evite ao máximo ficar exposto ou exposta em locais com barulhos de alto volume. Além de festas e boates, locais com muito trânsito ou em obras também devem ser evitados o máximo que você puder.

Atenção com os fones de ouvido

Procure utilizar fones de ouvido com prudência e sabedoria. Evite utilizá-los ao escutar música alta e de preferência para os modelos supra-auriculares – aqueles que necessariamente não precisam ser inseridos dentro da orelha para serem usados. Se for possível, diminua seu tempo de exposição diária nesse tipo de acessório.

Não faça automedicação

Alguns analgésicos, anti-inflamatórios e antibióticos podem aumentar ainda mais a intensidade dos zumbidos.

Sempre consulte seu médico de confiança antes de consumir qualquer medicação.

Modere no consumo do álcool e do café

Tanto o álcool quanto a cafeína em grandes quantidades podem potencializar os zumbidos. Necessariamente não é preciso eliminar esses itens do seu cardápio, mas sim, reduzir seu consumo.

Cuidado com o cotonete

Tenha atenção no momento de limpar os ouvidos. Mesmo que sejam úteis nessa missão, há a chance de os cotonetes empurrarem a cera para os canais auditivos, produzindo entupimentos, ou até mesmo machucando as estruturas internas do ouvido, podendo prejudicar ainda mais a sensação do zumbido.

Complicações

O zumbido no ouvido é um sintoma que exausta a pessoa e, devido a isso, pode promover complicações bem características. Quem lida com tinnitus pode demonstrar alguns desdobramentos como por exemplo:

  • Alteração nos hábitos de sono;
  • Ansiedade e depressão;
  • Dificuldade de concentração;
  • Fadiga;
  • Irritabilidade;
  • Problemas de memória.

O zumbido no ouvido é um sintoma que desgasta e incomoda, mas praticamente sempre está associado a condições de fácil tratamento. Busque um médico de sua confiança para iniciar o tratamento recomendado. Se preferir, pode ser uma boa opção seguir a metodologia ensinada nesse link aqui.

 

Referências:

http://www.cochlea.eu/po/cerebro-auditivo
https://biosom.com.br/blog/saude/trt-tinnitus-retraining-therapy
https://biosom.com.br/blog/zumbido/12-causas-do-zumbido-e-possiveis-medicamentos/
https://drauziovarella.com.br/envelhecimento/o-tormento-do-zumbido/
https://drjulianopimentel.com.br/artigos/zumbido-no-ouvido-causas-sintomas-e-tratamentos/
http://www.institutoganzsanchez.com.br/zumbido.html
http://www.institutoganzsanchez.com.br/viaauditiva.html
http://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/tinnitus/home/ovc-20180349
https://www.tuasaude.com/zumbido-no-ouvido/

 

O que é Zumbido no Ouvido: Causas, Como Tratar, Há Cura?
5 (100%) 190 votes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *